Perfil e percurso profissional de egressos dos cursos de mestrado e doutorado da Fundação Oswaldo Cruz (2013-2020)

Conteúdo do artigo principal

Suely Deslandes
Joviana Quintes Avanci Pina
Liana Wernersbach Pinto
Isabella Fernandes Delgado
Cosme Marcelo Furtado Passos da Silva

Resumo:

O objetivo do estudo é analisar o perfil de egressos e identificar fatores associados ao desempenho positivo relativo à trajetória de formação e de inserção profissional entre aqueles que concluíram cursos presenciais de mestrado e doutorado acadêmico da Fundação Oswaldo Cruz (Brasil). Participaram do estudo 2.462 egressos (1.402 de mestrado e 1.060 de doutorado) que responderam um questionário digital, contendo questões sobre perfil do egresso e inserção profissional antes do ingresso no curso e após a conclusão. Foi criada uma medida sobre “desempenho positivo pós-curso”. Os resultados revelam que egressos de mestrado com impacto positivo do curso tendem a ser homens; ter especialização antes de ingressar no curso; ter emprego remunerado após o término do curso nas áreas de pesquisa, educação, assistência e gestão; e ser servidor público. No doutorado o seguinte perfil é evidenciado: egressos com emprego remunerado após o término do curso nas áreas de pesquisa ou educação; contratados por Regime Jurídico Único ou contrato temporário de pessoa jurídica; e com publicação científica ou patente. A avaliação/acompanhamento de egressos deve se instaurar como uma importante política pública educacional, incorporada no processo de autoavaliação institucional, o que possibilita rever rumos e prioridades na agenda educacional e pedagógica da instituição.

Detalhes do artigo

Palavras-chave:
Educação de Pós-graduação; Programa de Pós-graduação em Saúde; Avaliação Educacional