Carga sanitária e econômica do consumo de bebidas açucaradas no Brasil

Conteúdo do artigo principal

Lucas Perelli
Andrea Alcaraz
Cid Manso de Mello Vianna
Natalia Espinola
Federico Rodriguez Cairoli
Ariel Bardach
Alfredo Palacios
Dario Balan
Paula Johns
Federico Augustovski
Andrés Pichón-Rivière

Resumo:

As bebidas açucaradas (BAs) são uma grande fonte de açúcar adicionado e estão associadas a doenças não transmissíveis (DNTs), como obesidade e diabetes. Este estudo avaliou o impacto do consumo de BAs sobre a carga de doenças no Brasil, incluindo óbitos, anos de vida ajustados por incapacidade (AVPIs) e custos de saúde. Usando uma metodologia de três estágios, examinamos os efeitos diretos das BAs sobre diabetes, doenças cardiovasculares e índice de massa corporal (IMC), a influência do IMC na incidência de doenças e estimamos o carga econômica e de saúde usando fatores atribuíveis à população. Os resultados mostraram que 2,7% dos casos de sobrepeso/obesidade em adultos e 11% em crianças foram atribuíveis a BAs. O consumo de BAs no Brasil levou a 1.814.486 casos, 12.942 mortes, 362.088 AVPIs e USD 2.915,91 milhões em custos médicos relacionados a diabetes, doenças cardiovasculares, doenças oncológicas e outras DNT. A implementação urgente de políticas públicas é crucial para enfrentar o consumo de BAs, reconhecido como um fator de risco fundamental para as DNT.

Detalhes do artigo

Palavras-chave:
Bebidas Adoçadas com Açúcar; Carga da Doença; Doenças Não Transmissíveis